Men at work

•23/07/2011 • Deixe um comentário

Estou de volta. Mas por pouco tempo. Antes de ser definitivamente, vou fazer uma obra, uma reforma por aqui. Acho que esse blog está precisando. Então, vou ali ver umas vitrines e volto em breve. Beijo-outro-tchau.

Love

•12/10/2009 • Deixe um comentário

2361092890_6210c26dfc_m
Love

Sem idéias

•08/07/2009 • Deixe um comentário

Tarde de chuva

Cute…

•27/12/2008 • 1 Comentário

even_if_you_can__t_hear_me_by_azuzephre2

Os injustiçados (parte 1)

•11/12/2008 • 5 Comentários

Jhuly 

Como a Ju não gostou nada de não ter sido citada no último post, decidi dedicar um texto só pra essa mocinha de encantadores olhos azuis.

 

 

 

 

 

 

 

 

Já faz muito tempo que ela me atura. Pra ser mais exata: nove anos, cinco meses e seis (?) dias. É uma das pessoas que mais me conhece (nossa, e como!) e uma das pouquíssimas para quem admito isso. Juntas (às vezes separadas) passamos por altos e baixos que me fizeram enxergar o mundo com outros olhos. Olhos que se conheceram adolescentes e, hoje, tentam aceitar a vida adulta. 

Foi com a Ju que aprendi a gostar de videogame, de gatos, do Mc Donald´s, do inverno e de lareira. 

Minha primeira namorada e o único eu te amo.

Ela ri das minhas piadas (até das piores), me faz sorrir quando só penso em chorar e acha graça quando começo a cantar.

Ela não conseguiu me ensinar a assobiar, mas me ajudou a ter menos medo do mar, de altura, de borboletas, do escuro. 

A Ju me apresentou um dos lagos da Unisinos, me levou pra Canela. E é com ela que quero ir a Londres. 

Ela me abraçou quando não vi meu nome na lista do vestibular, segurou minha mão quando minha avó morreu, riu nas muitas vezes que me machuquei, mas sempre me levou ao médico. 

Até nas horas em que acho que estou pesando 487 quilos, com olheiras, o cabelo embaraçado e as unhas quebradas, ela sempre me diz que sou a gatinha mais linda do mundo. 

Sei que ninguém é perfeito. Mas ela é perfeita pra mim.

Clipping

•08/12/2008 • Deixe um comentário

Do caderno de Informática da Folha de S.Paulo (03/12/2008):

dilbert2

folha2

Balanço

•05/12/2008 • 4 Comentários

balanco

Fim de ano se aproximando, papai-noel atolado de trabalho atrasado, finalmente um (dois) feriado pra relaxar um pouco. Esse é o clima de dezembro e, claro, não poderia faltar o famoso balanço de final de ano. Até outro dia, eu não estava muito otimista e só conseguia pensar nas coisas chatas que aconteceram em 2008. Mas é ruim ficar azeda desse jeito e, por isso, passei a lembrar do que foi legal. Saca só:

– Meus 27 anos foram comemorados com uma festa bem-sucedida. 

– Tirei férias no meio do ano e conheci Salvador. Ó paí, ó!

– Aproveitei bastante a vinda do JB pro Brasil. 

– Fui ao Rio de Janeiro e passei um dia inteiro na praia. 

– O Rodrigo disse que eu podia visitá-lo em Paris. 

– Realizei alguns sonhos de consumo: um MacBook, uma Nikon e um gravador digital. 

– Consegui emagrecer. 

– Fiz uma tatuagem linda no braço esquerdo.

– Criei coragem e fui ao dentista.

– Comecei a fazer terapia. 

– Li muitos livros. Todos bons.

– Ganhei abraços apertados, elogios, carinho.

– Assisti ao Natal Luz em Gramado pela primeira vez.

– Não adquiri nenhuma alergia nova.

– Comi quilos de sashimi e sushi.

– Reduzi consideravelmente o teor de álcool no meu sangue.

– Dei presentes. 

– Escrevi bastante.

– Visitei mais meus pais, meu irmão e meu sobrinho.

– Passei a acordar cedo para aproveitar os finais de semana. 

– Decidi deixar o cabelo crescer e ainda não raspei a cabeça. 

– Aprendi a fazer origami e a fazer fogo na lareira.

– Fiz fotos da formatura da Jac. E ela gostou.

– Ganhei meu primeiro free-lancer de foto.

Provavelmente estão faltando coisas nessa lista. Mas como, ao invés de ficar de trelelê, eu deveria estar trabalhando, vou deixar como está. 

Era ilso.